Certamente você já escutou muito falar a frase Planejamento Previdenciário, no entanto, talvez achou que não é o momento de pensar sobre o assunto.

Pois é, muitas pessoas por achar que já contribuiu à anos ao INSS e por achar que está muito cedo para pensar sobre o assunto, talvez não tenha entendido a importância de um planejamento previdenciário, não importa a quanto tempo tenha contribuído, pois planejar nunca é demais.

O planejamento previdenciário é um estudo do histórico do segurado contribuinte do INSS, com análise minuciosa em todos os: vínculos empregatícios/ tempo de contribuição/ valores de contribuições/ períodos laborados em atividades especiais e comum/ análise de divergências no CNIS – CADASTRO NACIONAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS/ cálculo de valor do melhor benefício, dentre outras questões.

As principais observâncias  de um planejamento previdenciário, está na análise do caso concreto de forma minuciosa a compreender o todos os direitos de cada cliente/segurado, organizar a documentação previdenciária, identificar o momento certo onde o segurado poderá pleitear o seu direito, verificar possibilidades de contribuir em atraso, regularizar as pendências com o INSS, analisar em qual perfil está o segurado, se o histórico de contribuição proporciona ao segurado o recebimento do melhor benefício para que este possa se aposentar no momento correto.

Portanto, planejamento previdenciário tem o intuito de verificar a possibilidade do segurado do INSS obter o melhor benefício, verificando a incidência do caso concreto ao fator previdenciário, a melhor regra, demostrando de forma clara ao segurado as vantagem e desvantagem no momento de pleitear a aposentadoria.

A análise de um planejamento previdenciário é de extrema complexidade, devendo ter observância a legislação vigente e as regras de transição, não sendo uma tarefa fácil para aquele que não é especialista na área, o que poderá levar ao segurado a uma interpretação errônea, e que muitas das vezes leva ao indeferimento da aposentadoria.

Como o próprio nome diz “planejar” é identificar o melhor momento para a aposentadoria, verificar todas as regras e possibilidades, melhor idade, melhor benefício, melhor RMI – Renda Mensal Inicial, e é somente através de um bom planejamento previdenciário que será possível identificar todas estas situações.

Outrossim, muitas pessoas tem contribuído ao INSS sem ter tido uma boa orientação jurídica, e tendo recolhido valores infímos por muito tempo acreditando que isso não irá afetar ao valor da RMI – Renda Mensal Inicial por ter um período longo de contribuição, o que não é verdade, pois dependendo da qualidade do segurado, há situações quem não é possível reverter, tendo em vista os critérios que envolve a legislação previdenciária: Ex: recolhimento de contribuições em atraso para melhorar o valor do benefício, exemplo clássico são os segurados obrigatórios, CLT, que não podem contribuir em atraso porque a obrigação do recolhimento previdenciário pertence ao empregador e não ao empregado, assim como aos empregados doméstico e trabalhadores avulsos.

Dentre as vantagens de um bom planejamento previdenciário, é saber o momento exato de buscar a aposentadoria, sem exceder o período de tempo de contribuição, ou seja, efetuar contribuições desnecessárias, ou pleitear a aposentadoria antes do tempo e acabar recebendo um indeferimento do INSS, por não ter certeza do momento exato da concessão da aposentadoria.

Portanto, planejamento previdenciário é algo que deve ser visto como uma boa ferramenta de organização e programação para quem pretende obter uma boa aposentadoria e um futuro tranquilo, sem deixar de observar a importância de um profissional qualificado e especialista na área previdenciária, profissional técnico e habilitado para te auxiliar na questão, tendo a certeza que você estará bem assistido a um bom planejamento previdenciário.